12 min read
Rate this post

Ao longo dos anos a Cannabis está sob o olhar minucioso de muitos governos ao redor do mundo. Muitos países já legalizaram a maconha, mas alguns, infelizmente, ainda não. A planta da maconha é legalizada em muitos países pois pesquisadores comprovaram seus benefícios para a saúde do corpo humano. A maior vantagem da planta da maconha em si é que ela possui uma concentração muito pequena de THC e outros componentes da cannabis que possuem efeitos psicoativos. No lugar do THC, a planta da maconha apresenta uma concentração maior de cannabinoides que são muito úteis para o funcionamento do corpo humano. Estudos mostram que o CBD presente da planta é capaz de curar muitas doenças e também o vício ou a tendência ao vício que muitas pessoas podem desenvolver.

O vício ou a tendência ao vício é definido como uma doença por muitas associações médicas. Assim como a diabetes, câncer ou doenças cardíacas o vício é causado por uma combinação de comportamento, ambiente e efeitos biológicos. Fatores de risco genéticos são responsáveis por quase metade dos casos de pessoas que se deparam com este problema em suas vidas. As consequências de um vício não controlado incluem outros problemas psicológicos ou mentais que exigem um cuidado médico. Se não controlado ao longo do tempo, o vício aumenta e vira uma ameaça real.

 

O que é Vício?

Muitas pessoas não sabem disso, mas o vício em álcool e drogas é uma doença. É uma doença no cérebro caracterizada pela dependência física e psicológica das drogas e do álcool, apesar dos seus efeitos nocivos. As pessoas que apresentam o vício geralmente são completamente cientes dos problemas, mas mesmo assim não conseguem evitar, pois é extremamente difícil de parar. O maior problema do vício em drogas e álcool é o uso abusivo e por um longo período das duas substâncias. O abuso nas drogas é resultado de uma série de fatores como a pressão de terceiros, depressão e a facilidade de se encontrar drogas hoje em dia. Vício em drogas também é descrito como uma doença de relapso, pois muitos pacientes apresentam uma recaída ao longo do tratamento, principalmente quando ele não veem os efeitos.

Nos Estados Unidos, o vício ao ópio foi declarado como emergência na saúde pública pelo presidente Trump em 2017. Desde então é apelidado de crise do ópio. Em 2015, mais de 20.101 mortes foram causadas pela overdose de remédios. Além disso, 12.990 mortes foram atribuídas à morte por overdose de heroína. Em 2016, o Departamento Americano de Saúde e Serviços Humanos apontou um número de 42.000 mortes por overdose de ópio, ou seja, definitivamente são números alarmantes.

Nós últimos anos, pesquisadores tem estudado o Cannabidiol (CBD), um composto encontrado na cannabis que eles acreditam ser muito importante e efetivo no tratamento do vício em drogas e medicamentos. Isso apesar do fato de que o Drug Enforcement Administration (DEA) classifica a marijuana como Schedule 1 droga, o que significa que na visão dele é uma droga que pode ser facilmente abusada. Mesmo assim, 29 estados norte Americanos legalizaram o uso da maconha medicinal.

Você deve estar se perguntando, como um componente encontrado numa roga pode ajudar a tratar o vício de outras drogas? É fato que o CBD tem a habilidade de modificar as vias neurais no cérebro de um viciado ajudando a diminuir os danos e se livrar dos problemas.

Por quê usar o CBD para tratar o vício?

Pode até te surpreender, mas o CBD já foi comprovado como um excelente método de tratamento para diversas doenças. Há registros da sua efetividade no controle de enxaquecas epiléticas, reduzindo a inflamação e ajudando nas dores crônicas. O CBD também é muito usado para ajudar a reduzir os efeitos colaterais do processo de tratamento por quimioterapia como as náuseas.

Um dos principais motivos que faz com que o CBD seja tão efetivo no tratamento do vício é que ele é uma substância que não contem propriedades psicoativas. Isso significa que diferentemente do THC (Tetrahidrocannabidiol), que é o componente da marijuana que te deixa alterado, o CBD oferece para você as propriedades de cura sem deixar você mocado. Curiosamente, o CBD também é considerado apto a ser usado para inibir os efeito psicoativos do THC. Como indicado anteriormente, o CBD atua na modificação das vias neurais diminuendo os impulsos e os sintomas. Isso significa também que as pessoas que apresentam tendências ao vício e usam o CBD não como uma droga a mais, e isso diminui drasticamente o risco de uma recaída.  

Os benefícios de usar o CBD para oa tratamento do vício

O CBD oferece uma lista grande de benefícios como o tratamento ao vício. Primeiro, ajuda a reduzir o desejo dos viciados, fazendo uma barreira para a recaída, mesmo quando eles estão expostos aos gatilhos. Essa é a grande vantagem que os 85% das pessoas no tratamento do vício de ópio e álcool relatam após um ano de tratamento. Também ajuda na redução dos sintomas de abstinência para os pacientes com problemas com o ópio.

Segundo, o CBD ajuda a reduzir  os níveis de ansiedade nos viciados em ópio. É considerado um forte aliado no tratamento destas pessoas pois tem efeitos terapêuticos que reduzem a ansiedade e consequentemente reduzem a chance de uma recaída. Cientistas consideram que o CBD tem a capacidade de ativar parcialmente o receptor de seratonina 5HT1-A no cérebro, o que explica os efeitos da melhora no humor.

Por ultimo, mas não menos importante, diferente de outras drogas como o OxuContin ou o Vicodin o CBD não é viciante.

Efeitos Colaterais do CBD

O CBD é uma substância natural química com poucos efeitos colaterais. No entanto, assim como todo tratamento, alguns pacientes podem sentir os efeitos colaterais. Alguns efeitos colaterais podem ser: boca seca, pressão baixa, tontura e sonolência.

Felizmente, se você beber bastante água o problema de boca seca será solucionado. Com dosagens altas, o CBD pode esconder a produtividade de outros medicamentos pois vai afetar as enzimas do fígado. Este também é considerado um efeito colateral, mas pode ser evitado apenas com um ajuste de dosagens.

Dosagem de CBD para a Insônia

Cada pessoa é diferente, portanto cada pessoa reage de uma maneira ao CBD. A dosagem recomendada vária de cada produto e condição e isso pode causar alguma confusão. Na média, 25 mg de CBD por dia é suficiente para as pessoas. Para sintomas mais fortes, esta dosagem pode ser aumentada gradativamente a cada semana até que a pessoa se sinta melhor. Claro que isso varia muito entre os pacientes, por isso é sempre bom monitorar. Para mais detalhes sobre a dosagem, veja o nosso post sobre a Dosagem de CBD.

Como eu posso usar o CBD para tratar o vício?

O CBD é oferecido e pode ser encontrado em diferente formas como óleos, pílulas, cápsulas, supositórios, óleos para vaporizador. O óleo de CBD é o preferido de muitas pessoas. Porém, é melhor você testar e usar a forma que mais lhe agrada.

 

História de Sucesso

 

Che*(Nome fictício), começou a usar Oxytocin, que contém opióides, para diminuir a dor que era consequência de um problema na coluna. Porém, o seu médico passou a não dar mais a prescrição para Che após notar que seu paciente estava viciado na medicação e abusando da quantidade. Che encontrou outras maneiras de arrumar a substância, o que iniciou uma luta de sete anos contra o adição de opiáceo. Che tentou fumar maconha, mas a abstinência persistia. Então ele tentou o CBD, que tem um efeito positivo comprovado. Ele então passou a fazer uso diário de 33mg, após testar diferentes dosagens, e ele afirma que ajudou a tirar a abstinência completamente e retornou a sua vida normal.

 

O que as pesquisas falam sobre o CBD para o vício?

 

Um estudo recente feito por Freidbert Weiss apontou para um resultado positivo no uso do CBD para tratar o vício e abstinência. O estudo foi conduzido em ratos, que não foram maltratados durante o processo, com vício em substâncias presentes na cocaína e no álcool. Os ratos foram então introduzidos ao CBD diariamente por uma semana ante de testar como eles reagiriam para qualquer gatilho às substâncias presentes no álcool ou cocaína.

Os ratos passaram no teste, ou seja não reagiram à substância que poderia ativar o gatilho, indicando que eles apresentaram uma menor abstinência, mesmo quando provocados. Além disso, os apresentaram um comportamento com menos ansiedade e impulsividade, que são características da abstinência. A pesquisa foi extremamente positive ao provar os efeitos do CBD neste tipo de situação.

Foi possível concluir então que sem um tratamento de prevenção ao relapso ou recaída de longo-prazo, o sonho de um viciado em alcançar a sobriedade novamente não passa de apenas um sonho. Porém, com o óleo de CBD, esta solução a longo prazo fica muito mais real.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

twelve − 8 =